quarta-feira, 3 de maio de 2017

AMEAÇADO DE MORTE, PORTEIRO DA PENITENCIÁRIA DE CUCURUNÃ EM SANTARÉM, FAZ EMPRÉSTIMO PARA MULHER QUE SE DIZIA ESPOSA DE DETENTO. SEBASTIÃO COM É CONHECIDO FOI COM A MULHER NO CENTRO DA CIDADE E FEZ UM EMPRÉSTIMO NO VALOR DE R$ 4.500,00 (QUATRO MIL E QUINHENTOS REAIS). PORTEIRO PROCUROU A POLÍCIA PARA FAZER UM B.O

O servidor da Susipe emprestou de uma financeira R$ 4.500 que foram entregues na mão da suposta mulher de um detento que o ameaçou de morte

O caso aconteceu nesta terça-feira (2), em Santarém. Sebastião Serra de Siqueira Pena, servidor da Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário), foi ameaçado em sua casa, no bairro do Mapiri, por uma mulher que disse ser esposa de um detento do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, localizado na comunidade Cucurunã, onde a vítima trabalha como porteiro.

Sob ameaça de morte, Sebastião, conhecido popularmente como “Positivo”, saiu de sua casa por volta das 10h de terça-feira, em companhia da suposta mulher de um detento e só retornou no final da noite, deixando a família muito preocupada, uma vez que ninguém sabia do seu paradeiro. A ameaça ao servidor foi presenciada por sua mãe que idosa e tem a saúde frágil.

Sebastião foi obrigado pela suposta mulher de detento, a fazer um empréstimo junto à financeira IBI, no Centro comercial de Santarém, no valor de R$ 4.500,00

No início da noite de terça-feira, Marta de Siqueira Pena, irmã de Sebastião, comunicou o desaparecimento do irmão por meio de redes sociais, ela acredita que por isso, não fizeram nada contra a vida de seu irmão.

“Minha mãe ficou muito desesperada ao ver o filho sendo ameaçado de morte e levado por uma mulher desconhecida. Como ele o dia foi passando e ele não retornava, toda a família ficou temendo pelo pior. Ele foi obrigado a fazer um empréstimo, mas graças a Deus está vivo”, disse Marta.

O caso foi registrado na 16ª Seccional Urbana de Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (3). Na ocasião, a escrivã de plantão disse que a polícia não pode fazer nada em relação ao empréstimo, mas que o BO serve para que a família tome providências junto à financeira.

“O empréstimo é um problema, mas não é o que mais nos preocupa nesse momento. O que queremos é garantia de vida para o meu irmão, porque ele foi ameaçado de morte e não sabemos se essa ameaça partiu mesmo de alguém que está detido no presídio onde ele trabalha”, declarou Marta.

JK com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário